Dicas pra começar o seu negócio criativo com o pé direito

Eu, como a maioria das pessoas costumava achar que a parte mais dificil de gerenciar um negócio criativo era começar. E realmente é uma das partes mais difíceis. Mas depois de vencer esse medo cheguei a conclusão que começar – pra mim – foi mais fácil do que aprender a gerenciar nos altos e baixos. E sei que nem todo mundo tem a minha facilidade.

 
Também percebi que tem muitas coisas que hoje eu faria de uma forma bem diferente, hoje vou compartilhar algumas delas e também o que acabou funcionando.

 
Dicas pra começar o seu negócio criativo com o pé direito

 

Se dedique ao Insta da sua marca/lojínea.

Uma das coisas que eu não fiz por aqui foi começar bem numa rede social. Só fui decidir que precisava investir mais nisso e divulgar meus projetos por lá depois de – pasmem! – 2 anos apesar de ser algo relativamente fácil de fazer.

 
Mas isso era porque eu não tinha o objetivo de chegar tão longe (e já são quatro anos trabalhando com design gráfico). Por isso, se você anda pelo menos mais decidida(o) do que eu, já pode começar a postar e cavocar seu nicho.

 

Faça uma apresentação (nem que seja por posts em redes sociais).

Não importa se você tem ou não um site, mas acho imprescindível pra quem tá começando colocar algum tipo de apresentação sobre você ou o seu negócio. Muitas vezes ter um produto maravilhoso e só funciona, mas confesso que muitas vezes nessa era de jogar coisas nas redes sociais, sinto falta de olhar pra um negócio e saber o histórico dele.

 
Já reparou que muitos sites grandes têm sempre uma sessão “Institucional”? E aliás, transparência é uma ótima coisa pra se adotar.

 

Crie sua lojinha em plataformas que mantém uma comunidade ativa.

Eu, por conta de cem por cento acaso, comecei pelo Etsy por ter percebido que tinha muitos trabalhos parecidos com os meus e que seria uma boa fazer minha lojínea por lá. Nada impede que você comece no Elo7 ou Enjoei  dependendo do seu nicho.

 
Começar em uma plataforma que já tem uma comunidade é ótimo porque você acaba “pescando” os consumidores fiéis que ela já tem.

 

Peça conselhos aos seus amigos.

Amigo que é amigo quer ver a gente crescer. E por mais que eles não entendam bulhufas da sua área de atuação, são ótimos pra coletar opiniões externas e sem preconceitos em relação ao que você está produzindo.

 
Começar um negócio é uma tempestade de inseguranças e ouvir o que outras pessoas – com boas intenções – tem a dizer é ótimo nessa fase.

 

Dê mais espaço pro seu processo criativo.

É muito fácil confundirmos o gerenciamento de um negócio criativo com o gerenciamento de uma microempresa ou com o ritmo de trabalhos tradicionais. Mas não é bem assim que funciona. Muitas vezes uma idéia boa não vai sair em quatro horas, oito horas, 3 ou 4 dias. Então é importante ser realista nessa questão e dar o espaço (e prazo, no caso dos seus clientes) necessário.

 

Não atrase seu projeto porque ele não está perfeito.

Dificilmente você vai achar tudo perfeito nos primeiros meses do seu negócio. E dificilmente você vai estar decidido em relação a tudo que quer fazer.

 
Muita gente acaba caindo nas garras do “se não for pra fazer perfeito eu nem faço” e acaba não fazendo nada. E só aprendemos como lidar com certas situações ou com clientes depois de passar por uma experiência.

 
Como você vai decidir como lidar com uma situação pela qual você nem passou ainda?

 

Se você está perdido em relação a sua identidade visual, evite excessos.

Quando se trata de design, não estar decidido pode virar uma bola de neve. Ainda não sabe que paleta de cor quer usar? Se vai usar fundos coloridos ou P&B nas fotos? Se você tá perdido em relação a como se apresentar, aposte no básico.

 

Não tenha dó de investir se você puder e a sua intuição dizer que é necessário.

É muito fácil a gente deixar de comprar um domínio, uma fonte, uma assinatura e gastar com qualquer outra coisa no começo. Especialmente pela insegurança de não saber se as coisas vão dar certo ou não. Euzinha, depois de “deixar pra lá” várias vezes percebi que investimento é algo que dá muito mais esperança e energia pro meu negócio e acredito que pra outros também.

A insegurança só vêm quando a gente se propõe a não tomar as decisões necessárias. 

 

Tá sem grana pra promover posts?

Comece com pouquissimos produtos ou no estilo “sob encomenda”. Invista em propagar suas idéias, seu conteúdo e mais ainda em ser consistente em relação a isso.

 
Você tem alguma dica legal pra compartilhar? Comenta aqui e ajude outras pessoas.

Carla

Designer e ilustradora de São Paulo/SP compartilhando um pouco da minha jornada. Com uma apaixonite por cinema, gatos e as coisas glitterosas da vida.

Comentários

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.